8ª Edição

Editorial

Semioses surgiu, primeiramente, pela necessidade de dar maior visibilidade às pesquisas científicas desenvolvidas pelos professores do Curso de Letras da Unisuam e, também, para servir de veículo de divulgação de estudos em geral no campo das Letras e Artes. É uma revista semestral, cuja Comissão Editorial acredita que pode ser um instrumento importante para o aprofundamento das pesquisas na área dos estudos da linguagem, em suas mais variadas facetas.

Na história das instituições, sobretudo as de Ensino Superior, iniciativas coletivas germinam, propostas amadurecem e se consolidam, trazendo à luz resultados que retro-alimentam a perspectiva crítica, científica e humanística. Assim, tem sido o trabalho dos docentes de Letras da Unisuam que, para além de formar professores para a Educação Básica, têm se preocupado com a pesquisa e com a viabilização de espaços democráticos de divulgação do conhecimento, realizando e participando de simpósios, seminários, congressos.

Isto quer dizer que esses docentes acreditam ser possível sistematizar e produzir conhecimentos em uma instituição privada. Vale ressaltar que o empreendimento não seria viável caso não existisse uma política institucional de pesquisa e de implementação de cursos de pós-graduação.

A revista é, assim, o resultado do amadurecimento e do trabalho institucionais, realizados em conjunto pela direção do Curso de Letras, seus professores, Direção de Pesquisa e demais organismos envolvidos em todo o processo.

Sabemos que os estudos da linguagem, nesta era pós-positivista, são de fundamental importância, pois há um consenso de que a linguagem não é algo transparente, e o que fazemos a todo momento é “negociar” sentidos, ainda que haja uma pressão sistemática dos órgãos do poder para que somente prevaleçam alguns sentidos.

Não é possível falar de sentido sem falar da ação do interpretante, encarregado de executar o processo de semioses e, portanto, de dar significação aos signos propostos no processo interacional da comunicação.

Quando falamos de linguagem, não estamos nos referindo apenas a signos verbais, mas também a signos visuais, pictóricos, sonoros etc, e, hoje, os estudos buscam desvendar ou propor novos sentidos para variadíssimos tipos de textos, estéticos ou não. É em função dessa gama de possibilidades de estudos, cujas abordagens certamente apontam também para a pluralidade de ideologias, que se chegou à escolha do nome Semioses para nossa revista. A semiose é o processo transformador dos fenômenos existentes no universo das experiências quotidianas, que, através da relação dialética entre mente interpretadora e signo, transforma o fenômeno-experiência em experimentações sobre os fenômenos.

Semioses é, sempre, atribuir sentidos. Os sentidos que atribuímos em nossos textos, publicados em cada número, estarão aguardando pelos novos, múltiplos e plurais sentidos que, cada leitura que deles se faça, lhes atriburá. Nesse sentido, Semioses é ler. Leiamos!

Profa. Dra. Maria Geralda de Miranda
Curso de Pós-graduação em Língua Portuguesa da Unisuam

 

Online

Nós temos 2 visitantes online