ANÁLISE MACROSCÓPICA COMO SUBSÍDIO PARA UM PLANO DE MANEJO DE UMA NASCENTE URBANA NO SUL DE MINAS GERAIS

Palavras-chave: Impacto ambiental. Sustentabilidade. APP.

Resumo

O objetivo deste trabalho foi realizar a análise macroscópica de uma nascente a fim de produzir dados para o estabelecimento de diretrizes para o desenvolvimento de um plano de manejo de uma nascente urbana no sul de Minas Gerais. Esta pesquisa trata-se de um estudo exploratório descritivo de abordagem quali-quantitativa e para a coleta de dados utilizou a observação. Os dados foram coletados a partir dos parâmetros da avaliação macroscópica e registrados em um diário de campo. Observou-se que a nascente se encontra em estado ruim quanto a impactos ambientais e necessita de medidas que promovam sua preservação. A análise macroscópica, a partir da análise da relação entre as causas dos impactos ambientais negativos e a definição das ações necessárias para mitigá-los, se mostrou eficiente como análise qualitativa visual da situação da nascente estudada e sua APP e como fornecedora de informação para gerar diretrizes para a determinação de ações, para assim atenuar os impactos negativos identificados, na dimensão ambiental da sustentabilidade. Porém, no caso de nascentes urbanas, para desenvolver um plano de manejo eficiente, é necessário envolver as demais dimensões da sustentabilidade: econômica, social, cultural e territorial.

Biografia do Autor

Keler Mara Gomes de Resende

Mestranda. Mestrado Profissional em Sustentabilidade em Recursos Hídricos, Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, MG, Brasil

Eliana Alcantra

Doutora. Mestrado Profissional em Sustentabilidade em Recursos Hídricos, Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, MG, Brasil

Leticia Rodrigues da Fonseca

Doutora. Mestrado Profissional em Sustentabilidade em Recursos Hídricos, Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, MG, Brasil

Rosangela Francisca de Paula Vitor Marqu

Doutora. Mestrado Profissional em Sustentabilidade em Recursos Hídricos, Universidade Vale do Rio Verde, Três Corações, MG, Brasil

Referências

BELIZÁRIO, W. S. Avaliação da qualidade ambiental de nascentes em áreas urbanas: um estudo sobre bacias hidrográficas do município de aparecida de Goiânia/GO. Revista Mirante, Anápolis, v. 8, n. 1, p.122-148, 2015.

BRASIL. Lei federal nº. 12.651/12. Código florestal. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br. Acesso em: 12/05/2019.

CASTRO, P. S. Curso recuperação e conservação de nascentes. CPT - Centro de Produções Técnicas, 2001. Disponível em: www.cpt.com.br. Acesso em: 12/05/2019.

CBH Rio das Velhas e Subcomitê Ribeirão Onça. Catálogo de Nascentes Urbanas da Bacia Hidrográfica do Ribeirão Onça. 2018. Disponível em: http://cbhvelhas.org.br/wp-content/uploads/2018/12/CATALOGO.NASCENTES.01NOV.4NOV.FINALcompressed.pdf. Acesso em: 18/06/2019.

FELIPPE, M. F.; MAGALHAES-JUNIOR, A. P. Consequências da ocupação urbana na dinâmica das nascentes em Belo Horizonte-MG. In: VI Encontro Nacional sobre Migrações, 4, 2009, Belo Horizonte. Anais [...] Belo Horizonte: ABEP, 2009.

FELIPPE, M. F.; MAGALHÃES-JUNIOR, A. P. Impactos ambientais macroscópicos e qualidade das águas em nascentes de parques municipais em Belo Horizonte - MG. Revista Geografias, Belo Horizonte, v.8, n.2, p. 8-23, 2012.

GARCIAS, C. M.; AFONSO, J. A. C. Revitalização de rios urbanos. Revista Eletrônica de Gestão e Tecnologias. v.1, n.1, p.131-144, 2013.

GOMES, P. M.; MELO, C.; VALE, V. S. Avaliação dos impactos ambientais em nascentes na cidade de Uberlândia - MG: análise macroscópica. Sociedade & Natureza, Uberlândia, v.17, n. 32, p. 103-120, 2005.

ICMBio, 2019. Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/portal/unidadesdeconservacao/planos-de-manejo. Acesso em: 12/06/2019.

LEAL, M. S.; TONELLO, K. C: DIAS, H. C. T.; MINGOTI, R. Caracterização hidroambiental de nascentes. Revista Ambiente e Água, v.12, n.1, p.146-155, 2017.

OLIVEIRA, A.; SOUZA, P. A.; BENDITO, B.; GONÇALVES, D. S. Proposta de recuperação para a nascente do córrego Mutuca em Gurupi - TO. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, Goiânia, v.11, n.22, p. 2447-2465, 2015.

PALIVODA, A. P.; PAVALUK, M. Avaliação do estado de conservação de nascentes localizadas em áreas rurais do município de Itaiópolis, SC. Saúde e Meio Ambiente, v. 4, n. 1, p. 17-31, 2015.

PENIDO, A. S. Programa de revitalização de nascente em ambiente urbano: estudo de caso do processo de criação e consolidação de uma política pública em São José dos campos, SP, 2013. 233 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação em Ciência Ambiental (PROCAM), Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

TUNDISI, J.G. Recurso Hídricos no século XXI. São Paulo: Oficina de textos, 2011, 328 p.
Publicado
2019-12-17